Declaração de Mantega faz subir juros futuros

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores  

“O câmbio não é instrumento para controlar a inflação. O instrumento  do Banco Central para controlar a inflação são os juros”, declarou Mantega, na última sexta-feira,  antes do início da reunião de ministros do G20 em Moscou.  Essa declaração veio logo após outra, também pelo ministro, um pouco antes do carnaval, de que o governo não permitiria o dólar a R$ 1,85.  A fala de Mantega foi interpretada pelo mercado de que as taxas de juros podem voltar a subir ainda neste semestre. O movimento já começou na sexta-feira. O contrato DI com prazo em janeiro de 2014 subiu de 7,41% para 7,62%.

Mas será que isso vai mesmo ocorrer? A elevação da taxa de juro real pode ter o efeito de elevar a taxa de desemprego. Pode também trazer a valorização do real pela entrada de capitais para fazer arbitragens de juros.  Esses efeitos não parecem ser aceitáveis por Brasília. Taxas de juros e desemprego baixas são âncoras políticas do governo Dilma. Tudo será feito para mantê-las assim até as próximas eleições em 2014.

Ed.125

Comentários

comentários

Posts relacionados

Boa Vista SCPC reúne especialistas para debater avanços e benefícios econômicos do Cadastro Positivo

A Boa Vista SCPC recebeu autoridades como Oscar Madeddu, do Banco Mundial, João André Pereira, do Banco Central do Brasil e César Calomino, da Equifax do Uruguai, para falar sobre o Cadastro Positivo e os seus impactos econômicos e sociais, inclusive em países em desenvolvimento onde já é uma realidade. Estes convidados também salientaram a…

Recuperação de crédito cai 2,3% no acumulado 12 meses

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 2,3% na variação acumulada em 12 meses (setembro de 2016 até agosto de 2017). A variação mensal com dados dessazonalizados apresentou aumento de 4,5% contra o mês…

Relatório de Crédito – jul/17

O Banco Central do Brasil (BCB) divulgou os dados de crédito referente a julho. A expansão das operações de crédito, até o momento, continua em ritmo moderado. O crescimento do saldo veio levemente abaixo do esperado, com redução na variação anual (caiu 1,6% em junho/17 contra diminuição de 1,7% em jul/17), atingindo R$ 3,1 trilhões,…