Desonerações e queda de juros reduzem receita fiscal

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

A Receita Federal contabilizou um recuo na arrecadação de março, fechando o trimestre com um superávit primário (aquele que é reservado para pagar juros) de R$19,7 bilhões. Em valores atualizados, o superávit projetado de 2013 atingirá cerca de R$80 bilhões ou 1,8% do PIB, contra a meta estabelecida de 3,1% do PIB. Contribuíram para reduzir o ritmo da receita as diversas desonerações pontuais que o Governo vem anunciando, de IPI, de PIS-Cofins, de CIDE e da Contribuição Previdenciária dos empregadores. Menos comentado é o efeito da queda dos juros que vem diminuindo a fatia de IR nas ligações financeiras e no resultado dos bancos.

Por trás da grande crítica ao descumprimento da meta fiscal de superávit primário está a contínua expansão da despesa corrente do governo. Esses compromissos são relativamente rígidos e de difícil compressão. A verdadeira meta do governo Dilma, neste momento, é não deixar que a atividade perca ritmo, trazendo a variação do PIB deste ano para uma faixa de 2 a 2,5%. Se isso acontecer, a oposição usará o resultado negativo de três anos ruins de PIB para bater duro no debate eleitoral.

Ed.175

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,5% em julho

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,5% em julho quando comparado a junho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (agosto de 2016…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

PNAD: Rendimentos apresentam leve melhora no 2T17

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), os rendimentos reais dos trabalhadores apresentaram melhora em todas as regiões quando avaliadas os valores acumulados em 4 trimestres. A Região Nordeste registrou a primeira marcação positiva (1,6%), ao lado da região Sudeste (0,1%) e Centro Oeste (0,8%). Em relação ao mesmo período…