Elevação da inflação reduz margem de atuação do governo

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

A inflação oficial (IPCA) de março registrou forte alta de 0,92%, o maior valor para o mês desde 2003, quando a elevação foi de 1,23%. Segundo os dados divulgados pelo IBGE hoje pela manhã, os principais responsáveis por esse incremento foram o grupo Alimentação e bebidas (+1,92%) e o subgrupo Transporte público (+3,01%), principalmente em função da alta de 26,5% do item passagem aérea. Assim, a variação acumulada em 12 meses da inflação atingiu o patamar de 6,15%.

Este resultado coloca mais pressão sobre o governo em relação ao atual processo inflacionário. Embora seja de caráter pontual, o retorno da inflação dos alimentos ao consumidor reduz ainda mais a margem de manobra do governo em relação aos preços monitorados que foram mantidos represados nos últimos anos. Energia elétrica, gasolina, pedágios e transporte público urbano tiveram seus preços controlados, o que tem gerado graves distorções nas empresas desses setores e nas prefeituras de algumas capitais brasileiras. A correção terá que ser feita em algum momento. A inflação presente já está dada, resta saber como será administrada a inflação que virá no futuro, principalmente no período pós-eleição.

Ed.393

Comentários

comentários