Empresas sofrem mais com a inadimplência

Po Flávio Calife

A queda na concessão de crédito para pessoas físicas e jurídicas não está ajudando na redução da inadimplência, e o problema continua sendo bem maior para as empresas. Dados de hoje do Banco Central mostram que as concessões de crédito em 12 meses recuaram 2,5% para as famílias e 0,5% para as empresas. Linhas como capital de giro sofreram redução de 12,8%. Para as famílias, o crédito para aquisição de veículos caiu 18% e até as concessões para o crédito consignado recuaram cerca de 17%.

Apesar da explicação para boa parte desses resultados ser a fraca demanda, as taxas de juros finais batem recordes e continuam em trajetória de alta, puxadas pela elevação dos spreads, já que as taxas de captação estão caindo. O aumento dos spreads pode ser explicado em parte pelo aumento do risco do sistema financeiro, representado pela inadimplência e pelos atrasos nos pagamentos.

A taxa de inadimplência para as famílias está estável há três meses. Já para as empresas, só se estabilizou no último mês. No caso dos atrasos de 15 a 90 dias, os resultados são extremamente diferentes. Enquanto os atrasos das famílias recuaram ao longo de 2015 e estão estáveis em 5,4%, os atrasos das empresas não param de subir, em dezembro de 2015 eram de 3,2% e já atingem 4% em fevereiro de 2016. Assim, mesmo com a estabilidade apresentada em fevereiro, as taxas de inadimplência correm um risco grande de subir no curto prazo, principalmente para as empresas.

Dado o cenário esperado para 2016, com consumidores cautelosos e avessos ao crédito e com empresas lutando para incrementar receitas e reduzir custos, a expectativa é que as empresas contribuam com força muito maior para o crescimento da inadimplência e consequentemente, dos riscos do sistema financeiro.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,79% em agosto

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 1,79% em agosto, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,34 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente a julho (quando o nível foi de 1,90%),…

Para 46% dos consumidores, o Cadastro Positivo tem como principal benefício auxiliar na obtenção de crédito e contratação de financiamentos

Em pesquisa inédita com consumidores de todo o Brasil, a Boa Vista SCPC identificou que para 46% dos entrevistados, o Cadastro Positivo tem como principal objetivo auxiliar na obtenção de crédito e na contratação de financiamentos. Outros 26% acreditam que o banco de dados com informações positivas sobre consumidores classifica de forma mais assertiva e…

Movimento do Comércio sobe 2,2% em agosto

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 2,2% em agosto quando comparado a julho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (setembro de 2016…