EUA se livram do calote, mas perdem credibilidade

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Por margem folgada, o Senado americano construiu uma saída de última hora para o impasse do financiamento do seu déficit fiscal e rolagem da enorme dívida soberana que acumula. A Câmara de Deputados, controlada pelos Republicanos, votou pela aprovação, embora com grande número de votos contrários (144 contra e 285 a favor). Os mercados refluíram, em particular os títulos de dívida de dez anos de prazo, que negociam a 2,70% no momento. O dólar se desvalorizou e o ouro permaneceu pressionado. As bolsas comemoraram pouco a decisão, com alta modesta na Ásia e baixa pequena na Europa. Os investidores já descontavam a perspectiva de que a estúpida queda de braço entre políticos em Washington, brincando na beira do abismo, não resultaria em uma tragédia acidental. Por isso, o pânico nunca se instalou.

Agora surgem as sequelas. A agência chinesa de rating Dagong anunciou novo rebaixamento da dívida americana. É uma prática ruim das agências de risco, que se manifestam em cima de fatos consumados, com nenhum poder de antecipação e grande poder de confusão, uma vez que comentam riscos já evidenciados. A SR Rating, agência brasileira comprometida com atuação de padrão global, foi a primeira no mundo a fazer um rebaixamento da nota americana – para AA – ainda em maio de 2009, ressaltando sobretudo o crescente risco político que se antevia entre os dois partidos nos EUA como sequela maior da crise financeira, então apenas começando. O que parecia um atrevimento de uma agência brasileira era apenas o exercício de sua capacidade profissional de antecipar fenômenos, esta a tarefa mais importante de um “rating”. De fato, é credibilidade que os EUA estão perdendo a olhos vistos. Isso não aparece logo nos juros praticados, dada a imensa liquidez. Mas imporá marcas duras e castigo financeiro aos EUA quando o atual quadro de liquidez se inverter.

Ed.294

Comentários

comentários

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,79% em agosto

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 1,79% em agosto, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,34 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente a julho (quando o nível foi de 1,90%),…

Para 46% dos consumidores, o Cadastro Positivo tem como principal benefício auxiliar na obtenção de crédito e contratação de financiamentos

Em pesquisa inédita com consumidores de todo o Brasil, a Boa Vista SCPC identificou que para 46% dos entrevistados, o Cadastro Positivo tem como principal objetivo auxiliar na obtenção de crédito e na contratação de financiamentos. Outros 26% acreditam que o banco de dados com informações positivas sobre consumidores classifica de forma mais assertiva e…

Movimento do Comércio sobe 2,2% em agosto

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 2,2% em agosto quando comparado a julho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (setembro de 2016…