Falta de planejamento gera desperdício de energia

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

Um grave erro de planejamento na execução das obras das usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, no rio Madeira, deverá gerar um grande desperdício de energia no ano de 2013. Devido a falhas de comunicação no edital de licitação ocorrido em 2008, diferentes equipamentos com tecnologias distintas entre si foram adquiridos pelas concessionárias responsáveis, ocasionando graves problemas de compatibilidade entre eles. Como consequência, parte da energia produzida pelas usinas não poderá ser escoada para o resto do país.

Este tipo de equívoco é imperdoável para qualquer país no mundo, e mais ainda para aqueles que buscam se transformar em economias desenvolvidas e competitivas. Experiências como o do gás de xisto nos EUA, que estão gerando um renascimento industrial por lá, são consideradas possíveis de serem replicadas em outros países, sendo necessários investimentos e “planejamento” adequado. Tudo o que não temos até o momento. O Brasil não poderia se dar ao luxo de abrir mão dessa energia barata e renovável das usinas do rio Madeira, num momento onde a utilização das caras termoelétricas é tão elevada e a queda da competitividade produtiva brasileira é tão evidente.

Ed.246

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…