Governo percebe inutilidade do corte fiscal em 2013

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Em sucessivas reuniões entre o Planalto e a Fazenda, tem ficado patente que o engessamento das despesas correntes no Orçamento da União impede que o Governo Dilma possa cumprir a meta fiscal de 2,3% do PIB este ano, como estabelecido originalmente. Por engessamento se entende a dificuldade legal de coibir aumentos de verbas previstas e aprovadas pelo Congresso. Em razão disso, qualquer tentativa de anunciar cortes orçamentários para valer afetaria despesas de investimentos. O Planalto reage contra a ideia de passar uma expectativa de redução ainda maior do ritmo da economia.

Por paradoxal que possa parecer, o Governo está correto sobre a inutilidade do anúncio de um corte seletivo sobre certas rubricas neste momento. A economia está em franca desaceleração e a inflação, embora incomodamente acima do topo da meta, não ameaça explodir. Com juros em alta, o BC já impôs freio ao consumo privado. Portanto, as cartas do governo já foram lançadas no sentido de reprimir a inflação por meio da usual repressão aos gastos do setor privado. Embora esteja claro para a sociedade que este não é o melhor caminho, ficou para o próximo governo mudar a política econômica de modo a equilibrar sacrifícios entre a sociedade e o setor público. Até lá, o governo continuará gastando mais do que arrecada e, também, mais do que o PIB nominal consegue crescer para pagar a conta.

Ed.228

Comentários

comentários

Posts relacionados

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…

Número de novas empresas sobe 5,1% no 3º trimestre

No 3º trimestre de 2017 o número de novas empresas cresceu 5,1% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Desta forma, os valores acumulados no ano (janeiro a setembro), quando comparados ao mesmo período do ano anterior, mantiveram-se positivos, passando de um…

Vendas para o dia das crianças sobem 2,7% em 2017

Dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) mostram que em 2017 as vendas do comércio para o dia das crianças aumentaram 2,7% quando comparadas aos resultados de 2016. Dessa forma, o indicador para data comemorativa tornou a subir após 2 anos consecutivos de queda, quando variou -4,2% em 2016 e -3,4%…