Mantega estimula construção e pede revisão do PIB

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

O ministro da Fazenda deu um passo importante no programa de desoneração da folha ao incluir o setor da construção civil. A partir de março, o recolhimento patronal ao INSS incidirá em 2% sobre o faturamento. A Fazenda prevê uma perda tributária de quase R$3 bi. Mas ainda é cedo para conferir este efeito pois o modo de incidência sobre o faturamento do setor não  ficou detalhado no anúncio. A medida foi acelerada sem detalhes porque o governo se convenceu de que a recuperação da produção não vem acontecendo como projetara Mantega. E a cobrança política já está fervendo sobre o ministro.

A medida de desoneração da folha na construção é positiva, mas pouco alterará o humor empresarial que enxerga riscos em mais investimentos em um  momento de forte desaceleração “sincronizada” do PIB mundial. O Brasil lidera essa corrida ao contrário. E Mantega tem razão ao pedir ao IBGE que reveja os números do PIB deste ano. Algumas distorções no cálculo indireto  são evidentes, como o efeito negativo da redução dos spreads na estimativa do PIB do setor financeiro. Futuras revisões devem acrescer até um ponto percentual a mais em 2012, porém insuficiente para alterar o desânimo de vários segmentos, especialmente na combalida indústria brasileira.

 Ed.83

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…