Mudanças do BC devem injetar R$ 30 bi na economia

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O Banco Central anunciou nesta manhã ajustes nas regras dos depósitos compulsórios. Os chamados depósitos compulsórios são parte do dinheiro depositado pelos clientes que os bancos são obrigados a recolherem aos cofres do BC. A autoridade monetária decidiu liberar até metade dos recursos relativos aos depósitos a prazo. Ou seja, em vez de ter de entregar ao BC, os bancos podem emprestar esse dinheiro ou até comprar carteiras de crédito de outros bancos. Esses ajustes podem injetar R$ 30 bilhões no sistema financeiro. A autorização tem prazo de um ano.

Em dezembro de 2010, o BC adotou um conjunto amplo de medidas macroprudenciais para conter o rápido avanço do crédito. Embora o argumento do BC para tomar essas ações de desmontagem das medidas macroprudenciais tenha sido que os depósitos subiram significativamente nos últimos anos, que houve moderação no crédito recentemente e que a inadimplência está em patamares baixos e o nível de risco no sistema financeiro diminuiu, o que se nota é que a preocupação com o lento crescimento do país foi o que levou o BC a tomar estas medidas para estimular a economia e aumentar o crédito disponível no mercado. O Ministério da Fazenda vem afirmando que a falta de crédito, sobretudo de financiamento a veículos, é um dos fatores que debilitam a economia. No entanto, as medidas anunciadas não garantem, necessariamente, uma melhora na expansão da economia. O momento atual não é de falta de liquidez, ou seja, dinheiro disponível no mercado. O momento é de um problema de confiabilidade. Os riscos de empréstimos aumentaram porque a economia está desacelerando. As medidas macroprudenciais também têm efeitos sobre a demanda agregada e sobre a evolução da inflação. Se o objetivo é estimular a economia através de aumento do consumo, essas medidas estão indo no sentido contrário à prioridade de combater a inflação.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Demanda por Crédito do Consumidor sobe 5,2% em agosto

A Demanda por Crédito do Consumidor subiu 5,2% em agosto (expurgados os efeitos sazonais), de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação interanual, agosto apresentou elevação de 1,9%, enquanto nos valores acumulados em 12 meses (setembro de 2016 até agosto de 2017 frente aos 12 meses…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,79% em agosto

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 1,79% em agosto, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,34 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente a julho (quando o nível foi de 1,90%),…

Para 46% dos consumidores, o Cadastro Positivo tem como principal benefício auxiliar na obtenção de crédito e contratação de financiamentos

Em pesquisa inédita com consumidores de todo o Brasil, a Boa Vista SCPC identificou que para 46% dos entrevistados, o Cadastro Positivo tem como principal objetivo auxiliar na obtenção de crédito e na contratação de financiamentos. Outros 26% acreditam que o banco de dados com informações positivas sobre consumidores classifica de forma mais assertiva e…