Nova alta de juros reflete dúvida do BC sobre a economia

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

O Comitê de Política Monetária do Banco Central definiu ontem em 0,5 ponto percentual a alta da taxa básica de juros (Selic), que passou de 8,0% para 8,5%. Era o aumento esperado pelo mercado. A bolsa abriu hoje em alta, refletindo concordância com a linha adotada pelo Comitê. Porém, nem o BC nem o mercado estão seguros do que vem pela frente. O vetor inflacionário deixou de ser os preços em dólares das commodities e a força do consumo. A inflação daqui para frente será alimentada pelos repasses de câmbio desvalorizado sobre os custos de produção.

A tese de que o BC deve continuar aumentando juros é baseada na necessidade de se compensar a política fiscal frouxa com uma política de juros mais restritiva. Enquanto o governo pisa no acelerador fiscal, o BC teria que pisar fundo no pedal do freio. A despesa pública não conseguirá compensar a desaceleração do consumo privado, já em curso. Mas a curva de juros em alta será suficiente para desmotivar expectativas, especialmente quanto a novos investimentos. Portanto, o governo deixa para o BC a responsabilidade de combater a inflação pelo pior lado possível, que é freando mais a produção doméstica do que o consumo. O BC também já percebeu que está em uma armadilha recessiva.

Ed.224

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…