Páscoa amarga

Por Bruna Martins/Flávio Calife

A primeira data comemorativa do ano não trouxe bons resultados para o varejo, mas o cenário ruim já havia sido antecipado pela Pesquisa de Hábitos de Consumo realizada pela Boa Vista SCPC. Os resultados da pesquisa apontaram que este ano seria de corte de despesas na Páscoa por parte do consumidor e que o comércio sofreria com menos receita. 79% dos respondentes declararam que gastariam menos em comparação a 2015, uma piora de 11 p.p. Quando questionados sobre a faixa de valor, 50% pretendiam gastar até R$50, contra 34% em 2015.

Dados de hoje divulgados pela Boa Vista SCPC mostraram que as vendas para a Páscoa de 2016 recuaram 5,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em 2015, as vendas já haviam recuado 0,3%.

O fato preocupante é que o indicador segue o comportamento do varejo como um todo e não representa somente uma queda pontual. Em conjunto com o indicador de Movimento do Comércio – que já espera um recuo de 4,0% para fevereiro – os números da Páscoa poderiam ser interpretados como mais um antecedente, uma vez que os dados oficiais do IBGE ainda são referentes a janeiro de 2016.

Pelo menos dessa vez os comerciantes já esperavam por vendas mais fracas e tentaram se adaptar ao cenário mais adverso. O mercado de trabalho desaquecido, a baixa confiança, o aumento dos juros e da inflação continuam impactando muito a atividade do varejo. Uma possível melhora deverá ocorrer apenas em 2017, uma vez que o cenário para 2016 permanece ainda bastante incerto.

Comentários

comentários