Petróleo tem forte queda

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O preço do barril de petróleo WTI fechou ontem na New York Mercantile Exchange a US$ 94,45 para entrega em maio. Uma queda de US$ 2,74. Em Londres, o barril Brent, com a mesma data de entrega baixou US$ 3,58, fechando a US$ 107,11.  O menor nível em um ano. Hoje os mercados abriram em níveis próximos ao fechamento de ontem.  O dado negativo do emprego nos EUA e, principalmente, o anúncio de que as reservas prontas de petróleo alcançaram níveis muito altos, chegando a um máximo desde julho de 1999, foram os principais responsáveis por essa queda.

A tendência do preço do petróleo, a médio prazo, ainda é incerta. Os fatores geopolíticos altistas no Irã e na Venezuela são mitigados pela precária recuperação da economia mundial, este fator baixista. Por outro lado, o afrouxamento monetário realizado pelos principais bancos centrais tem inflacionado os preços das principais commodities e diversos ativos.  O mercado de petróleo, em particular, passa por profunda mudança. A Opep acaba de divulgar que a China deverá ultrapassar os EUA como o maior importador de petróleo do mundo até 2014, reflexo do boom de óleo e gás de xisto nos EUA que está revolucionando os mercados de energia no mundo.

Ed.157

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…