Petróleo tem forte queda

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O preço do barril de petróleo WTI fechou ontem na New York Mercantile Exchange a US$ 94,45 para entrega em maio. Uma queda de US$ 2,74. Em Londres, o barril Brent, com a mesma data de entrega baixou US$ 3,58, fechando a US$ 107,11.  O menor nível em um ano. Hoje os mercados abriram em níveis próximos ao fechamento de ontem.  O dado negativo do emprego nos EUA e, principalmente, o anúncio de que as reservas prontas de petróleo alcançaram níveis muito altos, chegando a um máximo desde julho de 1999, foram os principais responsáveis por essa queda.

A tendência do preço do petróleo, a médio prazo, ainda é incerta. Os fatores geopolíticos altistas no Irã e na Venezuela são mitigados pela precária recuperação da economia mundial, este fator baixista. Por outro lado, o afrouxamento monetário realizado pelos principais bancos centrais tem inflacionado os preços das principais commodities e diversos ativos.  O mercado de petróleo, em particular, passa por profunda mudança. A Opep acaba de divulgar que a China deverá ultrapassar os EUA como o maior importador de petróleo do mundo até 2014, reflexo do boom de óleo e gás de xisto nos EUA que está revolucionando os mercados de energia no mundo.

Ed.157

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,5% em julho

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,5% em julho quando comparado a junho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (agosto de 2016…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

PNAD: Rendimentos apresentam leve melhora no 2T17

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), os rendimentos reais dos trabalhadores apresentaram melhora em todas as regiões quando avaliadas os valores acumulados em 4 trimestres. A Região Nordeste registrou a primeira marcação positiva (1,6%), ao lado da região Sudeste (0,1%) e Centro Oeste (0,8%). Em relação ao mesmo período…