Reivindicações salariais podem comprometer trajetória da inflação

José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Adormecido por repetidos aumentos salariais concedidos por empresas e governo na era Lula, o movimento grevista voltou com força total em 2012. São mais de 40 greves em todo o país. Grandes categorias profissionais como metalúrgicos, bancários e petroleiros se preparam para brigar por ganho real de até 10%, além de reposição da inflação, na esteira do “exemplo” dos servidores federais.

Na área pública, a concessão desses aumentos colocará em risco a execução do Orçamento.  Os salários do setor público já ultrapassam os seus equivalentes no setor privado. Segundo o IBGE, o crescimento do rendimento médio efetivo nominal dos salários nas seis maiores regiões metropolitanas no período 2002/2012 foi de 7%, ultrapassando a inflação mais produtividade.  No mesmo período, o crescimento do rendimento médio dos salários do setor público foi de 9%.  Demandas por aumento real de salário, com pressão de preços agrícolas e previsão de aumento dos derivados do petróleo, representam uma combinação explosiva, que poderá comprometer a trajetória da inflação e, por isso, da política de redução de juros.

Ed.12

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…