Resultado Fiscal do Governo Central é o pior desde 1997

Por José Valter Martins de Almeida e Marcel Caparoz, da RC Consultores

As contas públicas da União registraram em setembro déficit primário recorde de R$ 20,4 bilhões, o pior resultado desde o início da série, em 1997. Segundo o Tesouro Nacional, nos nove primeiros meses de 2014 tivemos resultado positivo em apenas três deles. No ano, o déficit primário já atinge a marca de R$ 15 bilhões, praticamente inviabilizando o plano do governo em economizar 1,55% do PIB.

Dois fatos chamam a atenção nesse resultado. Embora o Brasil tenha uma das mais elevadas cargas tributárias para países emergentes, a arrecadação de tributos, que no acumulado em 12 meses cresceu 10,4%, não está conseguindo pagar as despesas, que cresceram 13,4% no mesmo período e que correm, insistentemente, acima do PIB nominal, o que impede o equilíbrio fiscal. A segunda é a falta de comprometimento do governo central com os ajustes necessários. Para fechar o resultado com superávit, o governo tem recorrido a receitas extraordinárias e à “contabilidade criativa” ao longo dos dois últimos anos. No entanto, com a economia mais fraca indicando frustração com a receita, despesas em patamares elevados e diminuição do espaço para a “contabilidade criativa”, o governo terá que anunciar que não terá como cumprir a meta fiscal este ano. O descompasso permanente entre o ritmo de crescimento das receitas e despesas compromete ainda mais a credibilidade da condução da política fiscal pelo Governo Federal.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Boa Vista SCPC reúne especialistas para debater avanços e benefícios econômicos do Cadastro Positivo

A Boa Vista SCPC recebeu autoridades como Oscar Madeddu, do Banco Mundial, João André Pereira, do Banco Central do Brasil e César Calomino, da Equifax do Uruguai, para falar sobre o Cadastro Positivo e os seus impactos econômicos e sociais, inclusive em países em desenvolvimento onde já é uma realidade. Estes convidados também salientaram a…

Recuperação de crédito cai 2,3% no acumulado 12 meses

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 2,3% na variação acumulada em 12 meses (setembro de 2016 até agosto de 2017). A variação mensal com dados dessazonalizados apresentou aumento de 4,5% contra o mês…

Relatório de Crédito – jul/17

O Banco Central do Brasil (BCB) divulgou os dados de crédito referente a julho. A expansão das operações de crédito, até o momento, continua em ritmo moderado. O crescimento do saldo veio levemente abaixo do esperado, com redução na variação anual (caiu 1,6% em junho/17 contra diminuição de 1,7% em jul/17), atingindo R$ 3,1 trilhões,…