Dívidas no cartão dobram em quatro anos na região

42% das compras feitas nesta modalidade não foram pagas, diz Acic

Dados da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas) apontam que 42% das compras efetuadas com cartão de crédito na RMC (Região Metropolitana de Campinas) não estão sendo pagas. Há quatro anos este número era metade, e chegava a 21%. A estimativa é do economista do órgão, Laerte Martins. Pesquisa realizada em junho pela Boa Vista Serviços, administradora do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), quando 31% dos inadimplentes indicaram o cartão como o vilão da crise de suas finanças pessoais. Para Martins, a alta na inadimplência se deve às medidas do governo para incentivo ao consumo através da maior oferta na obtenção de crédito. Isso causou um descontrole por parte de alguns consumidores que não estavam acostumados com tamanha facilidade de crédito. “O índice de inadimplência do cartão de crédito é o maior até hoje. Nos últimos dois anos tivemos muitos incentivos, como baixa de juros e prazos alongados, o que levou o consumidor a usar mais crédito. Quase 50% de todas as compras são feitas com cartão de crédito”, explica Martins. CLASSE C O economista e professor da PUC-Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), Antonio Carlos Lobão, aponta o crescimento da classe C como outro fator que elevou a inadimplência do cartão de crédito. Além disso, ele explica que o problema maior são os gastos pequenos, que somados viram uma bola de neve impagável. “Muita gente passou a ter acesso ao cartão de crédito com o crescimento da economia, e alguns que não tinham o hábito de usar e acabou comprando mais do que tinha condições de pagar. Em geral o problema não está na compra grande, que acaba sendo programada, mas sim nas pequenas, compradas por impulso”, destaca Lobão.

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…