Receita nominal de Serviços tem pior agosto da série histórica

Em termos reais, a receita no setor caiu 4,9%, para o resultado acumulado em 12 meses.

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE, a receita nominal de serviços obteve o pior resultado para agosto da série histórica iniciada em 2012, com alta de apenas 1,0% na comparação contra o mesmo mês do ano passado. No resultado acumulado em 12 meses, a variação da receita nominal foi de 3,0%, desacelerando 0,3 p.p. em relação ao resultado de julho. Em termos reais, ou seja, retirando o efeito da inflação no setor, houve queda de 4,9%, também para o acumulado em 12 meses.

A partir deste mês o IBGE também passou a divulgar o volume de serviços, que em agosto registrou queda de 3,5% na comparação com o mesmo período de 2014. Mantida a base de comparação, os resultados de junho e julho foram de -4,2% e -2,2%, respectivamente. A queda acumulada no ano atinge 2,6% e o acumulado em 12 meses apresentou retração de 1,1%.

Os principais grupos ficaram configurados da seguinte forma na variação acumulada em 12 meses: Serviços prestados às famílias (passou de 4,4% em julho para 3,6% em agosto); Serviços de informação e comunicação (passou de 0,3% em julho para atuais 0,2%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (desacelerou 0,8 p.p. atingindo 6,4%); Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (passou para 2,9% em agosto); Outros serviços (apresentou desaceleração de 1,3 p.p. em agosto, com atuais 1,6%).

Apesar do volume de serviços ter diminuído consideravelmente em agosto (-3,5%), a queda da receita real (retirando os efeitos da inflação) tem sido ainda mais agressiva (-4,9%). Isto é, apesar do barateamento dos preços do setor de serviços, o ritmo de vendas permanece negativo, efeito que deverá perdurar até meados de 2016.

pms

Posts relacionados

Número de novas empresas sobe 13,6% em 2017

Em 2017 o número de novas empresas cresceu 13,6% em relação ao ano anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC, com abrangência nacional. Contudo, no 4º trimestre de 2017 o número de novas empresas caiu 2,2% em relação ao 3° trimestre.                            …

Movimento do Comércio sobe 1,5% em 2017

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em 2017, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na comparação mensal com ajuste sazonal, foi observado crescimento de 1,1% em dezembro frente a novembro. Já na avaliação contra dezembro do ano anterior,…

Recuperação de crédito cai 0,4% em 2017

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 0,4% em 2017. Já na análise mensal, houve avanço de 7,1% na variação contra novembro, considerando os dados dessazonalizados. Na comparação com o mesmo mês de 2016…