Volume de serviços registra recuperação após greve dos caminhoneiros

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE divulgada hoje, o volume do setor de serviços subiu 6,6% em junho na comparação com mês anterior (dados dessazonalizados). No acumulado em 12 meses a queda foi de 1,2%. Em relação ao mesmo mês do ano passado houve avanço de 0,9%. No acumulado no ano a atividade do setor caiu 0,9% em relação ao ano anterior.

Nos resultados mensais com ajuste sazonal, o avanço ocorreu em quatro das cinco atividades pesquisadas, destacando-se o grupo Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correios no qual registrou crescimento de 15,7%, após apontar queda de 10,6% no mês anterior.

Em termos regionais, o desempenho mensal positivo ocorreu em 22 dos 27 estados. Os estados que mais contribuíram para o avanço no índice nacional foram São Paulo (4,6%) com maior destaque, Paraná (10,1%), Minas Gerais (9,8%), Rio de Janeiro (3,6%), Mato Grosso (22,6%) e Bahia (9,7%).pms-jun

Por fim, foi observado crescimento da receita nominal de 2,4% no acumulado em 12 meses. No mês de junho foi registrado alta de 6,4% em relação a maio (dados dessazonalizados).

Os resultados de junho demonstram recuperação após as perdas registradas durante a greve dos caminhoneiros, que havia se disseminado para todos os segmentos da pesquisa em maio. Para os próximos meses, espera-se que o setor continue em um ritmo lento de recuperação, sofrendo os impactos do baixo nível de atividade dos demais setores da economia e das incertezas políticas.

Posts relacionados

Movimento do Comércio cresce 1,0% em janeiro

O Indicador do Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, avançou 1,0% em janeiro na comparação mensal dessazonalizada, de acordo com dados apurados pela Boa Vista. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador subiu 1,3%. Já na variação contra janeiro do ano anterior o varejo cresceu…

Análise PMC: Black Friday antecipa vendas do Natal e varejo registra queda das vendas em dezembro

A queda da inadimplência das pessoas físicas – e, consequentemente, das taxas médias de juros ao consumidor – abriu espaço para o crescimento da oferta de crédito. Por outro lado, o elevado nível de desocupação e a fraca recuperação da renda – apesar da inflação baixa – ainda limitam a capacidade de endividamento e consumo…

Boa Vista: Recuperação de crédito cai 0,6% no acumulado em 12 meses

13 de fevereiro de 2019 – O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista – registrou queda de 0,6% no acumulado em 12 meses (fevereiro de 2018 até janeiro de 2019 frente os 12 meses antecedentes). Em janeiro o indicador…