Custo menor de energia elétrica influencia IPCA-15 de fevereiro

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O IBGE divulgou hoje a prévia da inflação oficial do país. O IPCA-15 teve variação de 0,68% em fevereiro, um recuo de 0,20 ponto percentual em relação ao mês anterior. Em janeiro este indicador teve variação de 0,88%. Como previsto, a redução de 13,45% nas contas de energia elétrica impactaram o grupo Habitação, que apresentou deflação de 2,17%. Vestuário, Transportes e Despesas Pessoais também contribuíram para o recuo da inflação. Na contramão, a Educação, com alta de 5,49%, pressionou o índice. Alimentação e Bebidas, Artigos de Residência e Saúde foram outros grupos a pressionar a inflação em fevereiro. Em 12 meses, o IPCA-15 geral acumula alta de 6,18%, contra 6,02% em janeiro, portanto ainda subindo.

Nos próximos meses, o IPCA acumulado em 12 meses deve ficar acima dos 6%. Ainda a pressionar a inflação deste ano há o adiado reajuste das passagens urbanas. A inflação de serviços, em torno de 8%, não deve recuar significativamente. Por outro lado, espera-se uma queda importante nos alimentos, por conta da nova safra. Ontem, o BACEN e o Ministério da Fazenda afirmaram que a inflação não deve convergir para o centro da meta, de 4,5%, este ano. Para Mantega a inflação fechará o ano em 5,5%, ligeiramente inferior à do ano passado, de 5,84%.

Ed.129

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…