Energia e alimentos pressionam inflação e juros futuros

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O Instituto Brasileiro de Economia, Ibre, da FGV, divulgou previsão que o aumento das tarifas de energia elétrica levará a inflação para o topo da meta. A previsão do Ibre é que a conta de luz suba 8% este ano. O instituto estima que o IPCA deva fechar o ano em 6,4%. Além do aumento no preço da energia, a pressão dos alimentos sobre a inflação pode levar o IPCA de novo para o patamar de 6% nos próximos meses.

O aumento dos alimentos in natura decorrente das condições climáticas começou a aparecer nas últimas pesquisas de preço. Segundo o índice da RC Consultores, os preços agrícolas no atacado registram cinco semanas consecutivas de alta, acumulando até o dia 14 de março alta de 6,0% em relação ao patamar médio de fevereiro. Em relação a Mar/13, a elevação é de 14,4%. Como consequência da maior pressão inflacionária, os juros futuros na BM&F apresentam maior resistência, impedindo um eventual recuo em função da diminuição da aversão ao risco no exterior. A deterioração das expectativas do mercado sobre os efeitos das medidas do governo para o setor elétrico também pesam sobre os juros futuros. Tudo somado, inflação e juros continuarão pressionados nos próximos meses, num cenário em que os efeitos climáticos impedirão melhoras no comportamento dos preços dos alimentos in natura e com perspectiva de racionamento de energia elétrica pela frente.

Ed.382

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…