Juros em alta no Brasil

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

A taxa de juros ao consumidor continua subindo. A taxa dos recursos livres destinados à pessoa física (ofertados principalmente pelos bancos comerciais) sofreu em Julho/14 uma nova alta, alcançando o patamar de 43,2% a.a., o maior valor desde Março/11. Em julho do ano passado a taxa era de 36,2% a.a. Como consequência deste movimento, o spread bancário voltou a subir, atingindo 31,7% a.a.

A expectativa de uma deterioração no mercado de trabalho, com aumento do desemprego e uma consequente elevação da inadimplência, tem levado os bancos comerciais a tomar medidas para mitigar este risco. Seja pela maior restrição na concessão de crédito ou pela elevação dos juros cobrados. Diante do arrefecimento, o Banco Central tem buscado atenuar este cenário com medidas de estímulo à concessão de crédito. O relaxamento das exigências sobre as reservas compulsórias dos bancos, anunciadas recentemente pelo BC, tem o potencial de injetar na economia a quantia de R$ 40 bilhões, medida que pode não ser o suficiente para a retomada do crédito diante do difícil cenário econômico para 2015.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…