Moody’s admite mudar rating dos EUA

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A agência de classificação de risco americana Moody’s admite mudar o rating dos EUA, ao afirmar que considera improvável que a perspectiva negativa sobre a nota AAA seja mantida, e alertar que a direção da nota vai depender das negociações orçamentárias no Congresso americano.

Tudo indica que um acúmulo perverso da dívida pública americana terá continuidade. Déficits fiscais persistentes e insistentemente grandes levam a um financiamento adicional por dívida do Tesouro, ou pior ainda, em um financiamento inflacionário direto, por meio de impressão de dinheiro, ou ambos. Por outro lado, um PIB com crescimento lento, como vem ocorrendo, deflaciona a trajetória do crescimento do custo salarial, que poderia, por sua vez, ajudar a aumentar as bases tributárias de consumo e renda. O status de AAA, que reflete uma situação livre de riscos ou com risco remoto para a dívida soberana dos EUA, já foi perdido nos primeiros anos da última década, quando um gasto público esbanjador associado a uma indevida flexibilização das condições monetárias pelo FED começou a estruturar o atual desequilíbrio macroeconômico.  A agência americana S&P e a brasileira SR Rating classificam a dívida americana como AA.

Ed.27

Comentários

comentários

Posts relacionados

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…

Vendas no varejo crescem 0,5% em setembro e caem 0,6% no acumulado 12 meses

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE, o volume de vendas no Varejo restrito subiu 0,5% em setembro na comparação mensal (com ajuste sazonal), enquanto na variação acumulada em 12 meses, a trajetória do indicador apresentou melhora de 1 p.p. em relação ao mês anterior, apresentando retração de apenas 0,6%….