Revolução do gás natural muda panorama industrial brasileiro

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

O preço do gás produzido a partir das novas fontes exploradas nos EUA vem induzindo uma mudança drástica em todos os principais segmentos usuários desta matéria-prima. No Brasil, o preço do gás segue rígido e completamente desalinhado do novo padrão que se forma diante da realidade desta fonte de energia mais limpa, apesar de fóssil e, sobretudo, muito mais barata. A redução do preço da energia para uso industrial é incorporada aos preços finais dos produtos que chegam mais baratos, deslocando e até matando os competidores que não desfrutam dessa vantagem.

No Brasil, o preço do gás chega às indústrias usuárias onerado por uma estrutura tributária estúpida e por margens de transferência absolutamente exageradas. Segmentos como cerâmica, vidros e petroquímica são fortemente afetados no nosso país. Há razão de sobra para queixa e motivo de sobra para que a política tributária setorial, que ainda pune o gás, mude radicalmente. A boa notícia é que os vizinhos do Brasil são ricos em gás natural e mesmo o Brasil dispõe de fontes. O que não existe no país é a política de alinhamento de preços dessa vital matéria-prima. Especialistas, como o professor Adriano Pires, vêm insistindo que o caminho está aberto para mudar o atual panorama negativo.

Ed.183

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…