Seguradoras como fontes de dados na nova lei do Cadastro Positivo

Existem muitas dúvidas sobre o Cadastro Positivo quando falamos de seguradoras. Queremos ajudar as empresas envolvidas, e ficamos à disposição para tirar quaisquer dúvidas que possam surgir.

Vocês já estão se preparando para esta nova realidade?

A legislação que disciplina o Cadastro Positivo considera como fonte pessoa natural ou jurídica que conceda crédito, administre operações de autofinanciamento ou realize venda a prazo ou outras transações comerciais e empresariais que lhe impliquem risco financeiro, inclusive as instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil e os prestadores de serviços continuados de água, esgoto, eletricidade, gás, telecomunicações e assemelhados (inciso IV do art. 2º da Lei 12.414/2011, na versão da Lei Complementar 166/2019).

A falha no envio das informações restringe as chances do consumidor de acesso ao crédito justo e, por esta razão, as fontes poderão sofrer reclamações daqueles prejudicados pela ausência de tais informações, inclusive junto aos órgãos de defesa do consumidor. As informações das seguradoras são muito relevantes na composição do histórico de crédito, pois estão vinculadas à análise de risco de crédito ao consumidor.

Por isso, é evidente que as seguradoras que melhor se adequarem ao cumprimento da regulação na condição de fonte terão um diferencial em comparação a seus concorrentes no mercado.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Pedidos de seguro-desemprego recuam 32% em junho na comparação mensal

O Ministério da Economia divulgou ontem os dados referentes ao movimento dos pedidos de seguro-desemprego. Em junho, o número de requerimentos ao seguro–desemprego foi 32% menor em relação ao mês anterior, contabilizando cerca de 653.160 pedidos na modalidade trabalhador formal. Já na comparação com junho do ano passado houve alta de 28,4%, registrando o quarto…

IPCA avança 0,26% em junho, após dois meses de deflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)[1] avançou 0,26% no mês de junho. No acumulado em 12 meses houve evolução para 2,13%, 0,25 p.p. acima da variação observada em maio.  Com esse resultado, o indicador acumulou baixa de 0,11% no ano. O grupo Alimentação e bebidas (0,38%) foi o que registrou maior impacto…

Volume de serviços recua 0,9% em maio

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE divulgada hoje, o volume do setor de serviços recuo 0,9% na comparação com o mês anterior (dados dessazonalizados). Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o indicador contraiu 19,4%. Com isto, o setor acumula baixa de 2,7% na análise em 12 meses. Nos resultados mensais…