[PESQUISA] Dia das Mães registra queda de 39 pontos percentuais na intenção de compra dos consumidores

A crise ocasionada pelo novo coronavírus terá reflexos negativos nas vendas para o Dia das Mães. Segundo levantamento nacional da Boa Vista feito com cerca de 650 consumidores, a pretensão de compra para a data será de menos 39 pontos percentuais em 2020 na comparação com 2019, registrando o menor resultado da série histórica que acompanha a pretensão de compras ao longo dos últimos cinco anos, como ilustra a imagem abaixo:

Vai gastar quanto?

De acordo com a pesquisa, 82% dos consumidores pretendem gastar até R$ 100. Em 2019, 51% dos entrevistados tinham esta mesma intenção nas compras de presentes para o Dia das Mães. 7%, por sua vez, afirmam que vão gastar entre R$ 101 e R$ 200, contra 25% dos respondentes em 2019. 4% irão gastar entre R$ 201 e R$ 400 e 7% mais de R$ 400. No ano passado, em ambos os casos, 12% dos entrevistados disseram que investiriam estes montantes nas compras de presentes na data.

Ticket Médio

A queda no ticket médio, que já vinha sendo observada em anos anteriores, é mais acentuada em 2020, como também mostra a pesquisa da Boa Vista. Dos R$ 196 em 2019, o ticket médio em 2020 está na faixa dos R$ 120. Na imagem a seguir é possível observar a evolução:

Quem será presenteada?

Nesta pesquisa a Boa Vista também constatou que o isolamento social aumentou a intenção de se presentear as esposas. Um salto dos 5% observados em 2019 para 31% agora em 2020. No entanto, as mães ainda são maioria, representando 48% em 2020 contra 61% em 2019.

Os itens de uso pessoal, como vestuário, calçados, cosméticos e joias ainda são a principal opção de presente, mesmo com as lojas físicas fechadas. Este ano também se observa um aumento da escolha por presentear com flores.

Como reflexo do momento atual, cresce o percentual de consumidores que farão compras em e-commerces. Dos 14% em 2019 agora são 41% com esta intenção. Já em lojas de rua eram 40% em 2019 e agora são 29%. Em supermercados o percentual saltou de 2% para 12%. As compras em shoppings centers caíram de 31% em 2019 para 10% em 2020.

Vai pagar como?

61% pagarão as compras à vista e 39% parcelado. 43% usarão o cartão de crédito, 25% o cartão de débito e 20% dinheiro. Devido ao cenário recessivo gerado pelo combate à Covid-19, 71% pretendem gastar menos nesta data. Em 2019, 19% tinham este intuito. Uma alta de 52 pontos percentuais. Apenas 6% dizem que irão gastar mais agora do que no ano passado, quando 26% tinham esta intenção.

Motivos para não presentear

34% alegam que não vão presentear devido à redução de renda. 16% porque estão desempregados. Outros 16% porque estão sem condições financeiras. 13% porque estão endividados e 21% porque não têm o hábito de dar presentes.

A necessidade de crédito será uma realidade nos próximos três meses para 60% dos entrevistados, sendo que aproximadamente 1/3 buscará por empréstimo pessoal e/ou consignado.

Consulta de CPF e Score

No aplicativo Boa Vista Consumidor Positivo (disponível no Google Play e na Apple Store), os consumidores que precisam revisar o orçamento doméstico e até mesmo os que já estão com o nome sujo podem consultar gratuitamente o CPF, o score (nota de crédito), a existência de dívidas em seu nome, além de informações do Cadastro Positivo e de Educação Financeira.

As informações desta pesquisa estão resumidas em infográfico. Para ter acesso clique aqui.

Metodologia

Pesquisa da Boa Vista realizada com a intenção de identificar os novos hábitos e perspectivas de compra dos consumidores para o Dia das Mães. A sondagem foi feita entre 14 e 29 de abril, com cerca de 650 pessoas, de todas as regiões do país, que buscaram informações no site Consumidor Positivo (www.consumidorpositivo.com.br), bem no mercado. A margem de erro do estudo é de três pontos percentuais para mais ou para menos, considerando 90% de grau de confiança.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Pedidos de seguro-desemprego recuam 32% em junho na comparação mensal

O Ministério da Economia divulgou ontem os dados referentes ao movimento dos pedidos de seguro-desemprego. Em junho, o número de requerimentos ao seguro–desemprego foi 32% menor em relação ao mês anterior, contabilizando cerca de 653.160 pedidos na modalidade trabalhador formal. Já na comparação com junho do ano passado houve alta de 28,4%, registrando o quarto…

IPCA avança 0,26% em junho, após dois meses de deflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)[1] avançou 0,26% no mês de junho. No acumulado em 12 meses houve evolução para 2,13%, 0,25 p.p. acima da variação observada em maio.  Com esse resultado, o indicador acumulou baixa de 0,11% no ano. O grupo Alimentação e bebidas (0,38%) foi o que registrou maior impacto…

Volume de serviços recua 0,9% em maio

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE divulgada hoje, o volume do setor de serviços recuo 0,9% na comparação com o mês anterior (dados dessazonalizados). Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o indicador contraiu 19,4%. Com isto, o setor acumula baixa de 2,7% na análise em 12 meses. Nos resultados mensais…